Sespa palestra sobre as ações de combate ao Aedes aegypti

dengue1Com o objetivo de informar a população sobre como combater o mosquito Aedes aegypti e os sintomas da dengue, zika e chinkungunya, aconteceu nesta quinta-feira (24), no auditório do Palácio dos Despachos – Casa Civil, a palestra “Campanha Aedes aegypti”, ministrada pela epidemiologista Carla Garcia, assessora de Vigilância e Saúde da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa). A palestra trouxe informações sobre a doença e como trabalhar as ações de combate ao vetor. “Nosso grande foco hoje é combater o vetor para quebrar a cadeia de transmissão da doença”, disse a assessora de Vigilância e Saúde.

“A informação é fundamental para conscientizar as pessoas no grande combate ao vetor. Os vírus da dengue, chikungunya e zika provocam doenças com sintomas parecidos, como febre e dores musculares, porém com gravidades específicas. Das três, a dengue é a mais perigosa, pois pode ser causada por quatro sorotipos diferentes do vírus, que leva o paciente a apresentar febre repentina, dores musculares, falta de ar e fraqueza. A forma mais grave é caracterizada por hemorragias e pode levar à morte”, explicou Carla Garcia.

A melhor forma de se evitar a dengue é combater os focos de acúmulo de água, locais propícios para a criação do mosquito transmissor da doença. Para isso, é importante não acumular água em latas, embalagens, copos plásticos, tampinhas de refrigerantes, pneus velhos, vasinhos de plantas, jarros de flores, garrafas, caixas d´água, tambores, latões, cisternas, sacos plásticos e lixeiras, entre outros.

dengue2Dados – Um total de 290 casos de dengue, 16 de zika vírus e um importado de febre chikungunya compõem o Informe Epidemiológico emitido pela Sespa sobre as ocorrências confirmadas no Pará das três doenças que são transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti. Segundo os dados, houve uma redução de 36% na quantidade de doentes com dengue no Estado em relação ao mesmo período de 2015, que registrava 454 confirmações.

Desde o último dia 13, escolhido dia nacional de esclarecimento contra o mosquito (Dia D), várias estratégias de ações vêm sendo traçadas e colocadas em prática simultaneamente pelas secretarias regionais e da Defesa Civil, para que a população seja alertada e conscientizada sobre os riscos da proliferação do Aedes.

A Sespa criou a Sala de Situação, instalada na Unidade de Referência Especializada (URE) da avenida Presidente Vargas para o gerenciamento das ações de intensificação de combate ao mosquito da dengue. No Pará, 6.275 pessoas estarão envolvidas na campanha, entre servidores públicos da área de Saúde do Estado, da capital e da União, Sociedade Brasileira de Infectologia, Sociedade Civil Organizada e profissionais da Defesa Civil, além de 35 agentes de saúde mirins da Fundação Pro Paz e 7.500 militares da Aeronáutica, Exército e Marinha.

Estiveram presentes no evento representantes da Sespa, Casa Militar, Casa Civil, Bombeiros, Polícia Militar, Tribunal de Justiça, Fundação Propaz, Prefeitura de Belém, Secretaria de Saúde do Município (Sesma), Forças Armadas (Exército, Marinha e Aeronáutica) e outros.

Carla Fischer
Secretaria de Estado de Saúde Publica

Você também pode gostar...